descubra o que especialista dizem sobre esse produto

Author

Categories

Share


iStock

Por Isla Ramos
                               
Em 09.04.21

O shampoo que alisa é um produto que promete alisar, dar brilho e reduzir o volume dos fios. Mas será que ele cumpre tudo isso e é recomendado? Para saber mais, conversamos com a cabeleireira, colorista, terapeuta capilar e especialista em tratamento do couro cabeludo e da fibra capilar Gislaine Cândido e a técnica capilar Carla Soethe. Confira!

Continua após o anúncio

O que é e do que é feito o shampoo que alisa para conferir o alisamento dos fios

O shampoo possui ideia semelhante à progressiva de chuveiro. O alisamento que esse tipo de produto confere é baseado na cadeia dos aminoácidos, como esclarece Carla: “A junção dos aminoácidos tem a capacidade condutora de entrar na fibra e, dependendo do ácido presente, no caso, ele consegue, sim, bagunçar a ponte de enxofre e a estrutura capilar, fazendo com que ela fique mais alisada e reta”. Entretanto, para que os resultados sejam percebidos é necessário, muitas vezes, ativar o efeito com uma fonte de calor.

Em relação ao processo de alisamento, Gislaine explica que quanto mais baixo o pH do produto, mais fechada fica a cutícula, dessa forma proporcionando um alisamento dos fios. O produto alisa porque seu pH é, geralmente, menor do que 2 no grau de acidez e o pH do cabelo é de 4,2 a 5,8. “Quanto mais fechada a cutícula com o grau do pH baixo, mais difícil a penetração de nutrientes no cabelo”, complementa a especialista.

Na fórmula do shampoo que alisa, Gislaine aponta que pode conter ácidos, como o glioxílico – um ácido que junto à carbocisteína é usado para promover o alisamento e a diminuição do volume dos fios. Porém, será que vale a pena investir no shampoo que alisa? Veja a seguir o que disseram as especialistas.

Vale a pena usar o produto e quais são os cuidados necessários?

Para Gislaine, o produto não é recomendado. Isso porque no mercado de cosméticos, há várias químicas que podem ser feitas sem agredir a estrutura dos fios. Além disso, Gislaine explica que esse tipo de produto, o qual pode ser vendido para qualquer pessoa utilizar em casa, pode trazer um risco enorme à saúde dos fios. “Toda química tem que ser manuseada por um profissional qualificado”, finaliza.

É exatamente o uso inadequado que Carla aponta como o fator que pode trazer mais riscos, principalmente se usado em excesso e combinado com outras químicas. Por isso, Carla o alerta: “Sempre prezar pela marca de confiança e produto original. Há muitos produtos no mercado que camuflam o formol com outros nomes e derivados. Por isso, é importante buscar por produtos profissionais e marcas de confiança para não ter nenhum susto, prezando pelo teste de mecha para alcançar o melhor resultado”.

Além disso, Carla frisa que é necessário ficar de olho no excesso de aminoácidos. “Evite os excessos de aminoácidos quando quiser fazer esse tratamento. Então tem que resguardar o cabelo, de preferência, uma semana. Não se deve fazer o uso desse shampoo que alisa nos primeiros 7 dias após uma coloração ou qualquer procedimento químico, por conta do pH baixo do shampoo que alisa, que pode gerar um corte da fibra capilar”, conclui.

Por fim, Carla faz um alerta importante: “Recomenda-se dar um intervalo de 30-60 dias para fazer novamente e sempre com o diagnóstico da fibra, pois toda fibra não precisa só de um nutriente, ela precisa de vários componentes. Então usar somente o shampoo que alisa vai trazer malefícios à fibra, ainda mais se usá-lo em excesso”.

5 malefícios a longo prazo de uso do shampoo que alisa

Apesar de alisar e trazer certo brilho aos fios, quando usado em excesso e sem acompanhamento profissional, o shampoo que alisa pode trazer efeitos indesejáveis. Fique de olho nos malefícios que o podem surgir a longo prazo. Acompanhe:

Continua após o anúncio

  • Desbota a cor: “todo alisamento traz um desbotamento no fio, alguns por superaquecimento de chapinhas”, comenta Gislaine.
  • Quebra e ressecamento dos fios: “Quanto menor a acidez, mais liso o cabelo fica porque as cutículas vão sendo fechadas, trazendo brilho, mas esse brilho, na verdade, é só por fora e não por dentro. Quanto mais fechada essa cutícula, os fios não conseguem absorver os nutrientes depois. Por isso que, muitas vezes, quebra o cabelo”, explica Gislaine.
  • Afinamento dos fios: se os cuidados não forem seguidos, com o tempo os fios alisados tendem a ficar mais finos e sem vida, com as pontas retas e espigadas.
  • Tricodinia: segundo Gislaine, esse tipo de produto pode provocar a tricodinia que é a dor no couro cabeludo. Isso ocorre devido à sensibilidade que o couro cabeludo desenvolve, em alguns casos, em resposta aos procedimentos químicos em excesso.
  • Descamação do couro cabeludo: esse problema pode causar a disfunção da microbiota e gera outros problemas, como a caspa e dermatite seborreica. Mesmo que não se tenha comprovação das causas da caspa, um artigo científico da UNIVALI demonstrou que a caspa é suscetível a uma série de ações, como a exposição as altas temperaturas, excesso de químicas e utilização inadequadas de produtos.

Além de evitar o excesso de química, a dica é sempre procurar a orientação de um profissional antes de fazer esses procedimentos. Outra dica é apostar em um cronograma capilar para ajudar na recuperação e saúde dos fios.





Source link

Author

Share